Sunday, September 30, 2007

Linha do Dão


Quando era miúdo queria ser uma bola de matraquilhos...O percurso que a bola fazia da baliza até cair novamente, depois de se pôr nova moeda, fascinava-me. Senti o mesmo quando descobri, sem querer, uma antiga linha de comboio conhecida por Linha do Dão. Esta linha, inaugurada a 25 de Novembro de 1890, fazia a ligação de Santa Comba Dão a Viseu. Ainda percorri sites a tentar descobrir a data de encerramento da linha mas, mesmo depois de consultar o site da CP, nada consegui saber. Conversei apenas com alguns populares que me deram uma ideia de quando deixou de ali passar o comboio...

Quando vinha de Viseu, sábado de manhã depois de lá ter ido em passeio, fiquei com a ideia de ter visto uma antiga estação próxima do IP3. Na saída seguinte, não resisti, e fui à procura dela, tendo ficado estupefacto quando se confirmou a minha suspeita. Era mesmo uma estação - Parada de Gonta. Ali estavam as antigas casas de banho, as bilheteiras, as oficinas, o trilho por onde passavam os carris e, ao fim da estação, um resto deles que se perdem por baixo de um alcatrão que se sobrepôs à história destes caminhos de ferro, só visíveis para os mais atentos que lá passem. (Agora já não, já que foi toda restaurada e é conhecida como a EcoPista do Dão, excelente passeio, fica a sugestão)
Não vi qualquer proibição, e mesmo que visse, não deixaria de fazer o que fiz. Acabei por pôr o carro no trilho e segui o caminho abandonado, já sem carris, por entre os pinhais, densa vegetação, e assim fui descobrindo velhas estações e apeadeiros fantasma. Triste por não ter levado a máquina fotográfica para documentar esta verdadeira aventura, repeti o trajecto no domingo, e aí sim tirei algumas fotografias.
O Km 4,476 foi a maior surpresa - A ponte - a ligação entre Treixedo e Santa Comba Dão, foi algo que não esperava encontrar numa parte do trajecto em que mal conseguia ver o que me esperava no metro seguinte. Não contava encontrar a ponte, apenas parte dela, ou o espaço onde esta deveria estar... Não pude deixar de a sentir com as minhas próprias mãos. Aproveitei para pisar esta estrutura metálica que ali está há mais de 100 anos.

O que ficou por dizer: A linha do Dão fechou em 25 de Setembro de 1988, com a habitual desculpa de falta de rentabilidade. A automotora, por esta linha ser de via estreita, não atingia grandes velocidades e as carruagens não eram nada confortáveis e eram poucas, de tal forma que muitos dos serviços eram já suportados por autocarros. Ao que parece foram também estas as razões que levaram ao encerramento da Linha do Vouga. A CP, durante vários anos, ainda teve o cuidado de manter a linha em condições, salvaguardando inclusivamente as respectivas inspecções.

Tuesday, September 11, 2007

Julieta Maria Emidio




Na imagem estão a ver os meus avós, a Julieta Maria Emídio e o António Augusto Leal Roman Navarro.



Na altura em que tiraram esta fotografia, das poucas que tenho com eles juntos já que se divorciaram poucos anos depois, andavam no circo. Quando estou num grupo de amigos consegui fazer um ou outro truque mas nada do outro mundo já que nunca lhe "ganhei a mão", como dizia o Titó.

A (Julieta) para além de uma cozinheira fabulosa, era também uma coleccionadora de histórias, memórias que foi guardando do período em que foi empregada doméstica numa casa francesa, onde ganhou algumas expressões, como "chauffeur" por exemplo. É curioso...