Friday, June 26, 2009

Os teus "eus"...

É dentro de uma caixa de sapatos que guarda um baralho de cartas dos arquivos de identificação de Lisboa, agora mais conhecidos por cartões únicos.
Se não fosse tão astuto e perspicaz, poderíamos até dizer que quando acorda e se prepara para mais um dia de trabalho tira à sorte uma qualquer cartão mas, na verdade, nunca o escolhe ao acaso.

Como um velho batido nos jogos do jardim, daqueles que antes de começar a jogar já sabe qual é o trunfo, com quem joga e de que forma os vai limpar a todos; também este homem sabe criteriosamente que nome escolhe para o dia que começa quando no seu telefone faltam alguns minutos para tocar o alarme... Um relógio biológico adiantado dois minutos certeiros.

Ao acordar, põe a rodar num velho leitor de cassetes aquela música que o faz conquistar o mundo enquanto se barbeia e, depois de duas palmadas de after-shave, tira do seu guarda-fatos um sobretudo, o seu "escudo" que já alguns euros traz no bolso.

Como profissional que é não tem automóvel mas também não anda a pé, a não ser quando caminha para o taxi que tem sempre à sua porta, todas as manhãs, e que é conduzido pelo mesmo motorista há vários anos.
Quase como num ritual, o chauffeur abre-lhe a porta do carro, espera que ele se sente e informe o destino.
Depois de iniciar a corrida ouve o seu telefonema e, só nessa altura, fica-se a saber como se chama ele naquele dia.