Monday, May 09, 2011

O que vejo eu daqui?

Ao longe a Serra.



Hoje vejo-te bem... Os teus limites... Daqui, de onde escrevo, parece que vejo ao longe um gráfico, daqueles com muitas oscilações mas este, em particular, com tendência para o decréscimo como confirmei agora depois de me torcer e espreitar por detrás desta viga de granito que tenho à minha frente. Mais perto, nem de propósito, o sino da igreja... Pergunto-me agora se é por acaso ou se até há uma qualquer relação entre este sino, a igreja e a curva da serra lá longe desta terra que oferece a quem quiser, tiver tempo ou for capaz de apreciar esta vista para o Dão. Pareces adormecido rapaz... Deixa-me tratar-te assim! - Parece estar a repousar dessa sua missão de, com os olhos fixos na paisagem, espelhar o que de mais bonito ela tem.



Bom! Mais uma vez lanço-me às palavras e acabo por me perder... Desejava eu escrever sobre o que me inspiram todos estes telhados que vejo daqui, intrigam-me os segredos que por baixo estão guardados, imagino recados e outros pecados dos bons aos maus passados.



O que faço eu aqui? Espero... quase que me distraio e não refiro que estou numa tarde de Domingo, num dia em que obrigações e outras frustrações me roubaram por instantes, bem inquietantes, uma tarde diferente... Pelo menos até daqui a nada. Algumas malhas por cima de um disco preenchem-me um vazio musical "pentatónico" e dão-me, assim, especial conforto, sentimento de bom trabalho, útil, que contraria uma frustração que insitia em não desaparecer.





Conforto sim, pego antes aqui para, enquanto volto a pousar os olhos nas curvas da serra, relembrar alguns dias diferentes que veêm por aí. Não me refiro aos distantes, que passarei mais longe, mas sim aos que tenho obrigação de corresponder às expectativas de quem me quiser ouvir e acompanhar nesta viagem onde também eu sou um turista. Esta vista que eu vejo daqui tem sido, para a preparação desta viagem, fundamental... Inspira-me, preenche-me, dando um outro sentido para os meus dedos que me surpreendem tanto nestas teclas como nas brancas e pretas que tenho aqui ao meu lado.